quinta-feira, 18 de maio de 2017


A SUÉCIA E O BREXIT


Depois da decisão britânica de o Reino Unido abandonar a União Europeia, vieram à luz diversos comentários, por vezes uníssonos, por vezes divergentes.

Em maio de 2017, Andreas Hatzigeorgiou, o chefe da Câmara de Comércio de Estocolmo (Stockholms Handelskammare) comparou o acontecimento a um terramoto, dado a Grã-Bretanha ser um dos maiores parceiros comerciais da Suécia, assim como um dos maiores aliados do país na União Europeia. 
Para Andreas é essencial negociar um bom acordo entre a Suécia e a Grã-Bretanha, para acautelar as exportações suecas, e diminuir o impacto negativo no desemprego e crescimento da Suécia. 
Igualmente seria importante defender os interesses dos 90 000 suecos residentes no Reino Unido.

Já Anna Breman, economista-chefe do banco Swedbank, teme turbulência nos mercados financeiros e aponta a necessidade de o Banco Central Europeu estar preparado para intervir e acalmar a situação.

Por outro lado, Anna Stellinger, diretora-geral do Conselho Nacional do Comércio (Kommerskollegium), a autoridade estatal responsável pelo comércio e pelo mercado livre europeu, aponta o facto de a Grã-Bretanha ser responsável por 17% do Produto Nacional Bruto da Suécia, assim como realça a relevância de a Grã-Bretanha ser o principal aliado da Suécia na luta pela liberalização do mercado livre europeu.  Para ela, é impossível de momento saber qual vai ser a nova relação do Reino Unido com a União Europeia, inclinando-se todavia para uma solução no âmbito da Organização Mundial do Comércio (WTO), em que a Grã-Bretanha teria um estatuto semelhante ao da Rússia.

Uma outra perspetiva é acrescentada por Anne Linde, Ministra dos Assuntos Europeus, que vê possiveis ganhos para a Suécia com o Brexit britânico, apontando a possibilidade de a Suécia conseguir atrair investimentos e deslocalizações de empresas que optem por abandonar o Reino Unido. 

Mikael Damberg, Ministro da Economia, aponta ainda a vontade de a Suécia conseguir a deslocação da Agência Europeia do Medicamento para Estocolmo ou Uppsala.   

A jornalista Lena Melin resume no jornal vespertino Aftonbladet as consequências do Brexit para os Suecos: Implica a perda do seu principal aliado na União Europeia, 
tem consequências imprevisíveis na economia da Suécia, torna incerto o futuro dos Suecos residentes na Grã-Bretanha, desestabiliza as bolsas e os mercados financeiros, faz baixar significativamente os investimentos na Suécia, paralisa durante um largo período a Europa.


Aftonbladet – 17 de maio de 2017 - Så påverkas Sverige, och din ekonomi, av Brexit - http://www.aftonbladet.se/nyheter/article23060470.ab
Dagens Nyheter – 15 de dezembro de 2016 - Brexit kan ge vinst för Sverige - http://www.dn.se/ekonomi/brexit-kan-ge-vinst-for-sverige/
Aftonbladet – 17 de maio de 2017 - Så drabbas vi av brexit - http://www.aftonbladet.se/nyheter/kolumnister/lenamellin/article23034119.ab

sexta-feira, 7 de abril de 2017

CAMIÃO VAI CONTRA MULTIDÃO EM RUA PEDONAL DE ESTOCOLMO


Na sexta-feira dia 7 de abril, um camião acelerou contra uma multidão de transeuntes e atropelou vários peões na Drottninggatan - uma rua pedonal no centro de Estocolmo - e esbarrou com o centro comercial Åhléns city, começando depois a arder. Há quatro mortos e quinze feridos, dos quais nove em estado grave.

O primeiro-ministro Stefan Löfven declarou que "A Suécia foi atacada. Tudo indica que se trata de um ato terrorista." 

A Polícia deu uma conferência de imprensa, durante a qual mostrou uma imagem de um indivíduo suspeito, usando um casaco verde e um capuz preto. Um pouco mais tarde, deteu em Märsta, uma pequena cidade a 40 km a norte de Estocolmo, um homem de 39 anos, suspeito de ter conduzido o camião. 
Igualmente, foram detidas várias pessoas para interrogatório na região de Estocolmo.  

Segundo a Polícia de Segurança Secreta, o camião de transporte de cerveja foi sequestrado alguns minutos antes, quando estava a ser descarregado na proximidade do local do atentado, tendo o motorista visto uma pessoa encapuçada tomar conta do veículo e arrancar de imediato.


INFO


A Drottninggatan - em português Rua da Rainha - é uma conhecida rua do centro de Estocolmo, a capital da Suécia. Tem 1,5 km de extensão, começando na ponte Riksbron, sobre o canal Norrström, e terminando no parque Observatorielunden, no bairro de Vasastaden. É uma rua, na maior parte reservada a peões, com muito movimento, e muitos restaurantes, bares, cafés e lojas. Entre outros pontos comerciais, tem um destaque especial o centro comercial Åhléns City.


Aftonbladet - 7 de abril de 2017 - Attentat på Drottninggatan i Stockholm: ”Flera döda” och stort antal skadade - http://www.aftonbladet.se/nyheter/a/M04XE/attentat-pa-drottninggatan-i-stockholm-flera-doda-och-stort-antal-s
Expressen - 7 de abril de 2017 - Lastbil har kört in i folkmassa i Stockholm - http://www.expressen.se/nyheter/stockholm/lastbil-har-kort-in-i-folkmassa-i-stockholm/

segunda-feira, 27 de março de 2017

A SUÉCIA QUER UM ORÇAMENTO EMAGRECIDO PARA A UNIÃO EUROPEIA

O primeiro-ministro Stefan Löfven e a ministra das finanças Magdalena Andersson querem reduzir o orçamento da União Europeia, devido à saída da Grã-Bretanha e ao desaparecimento do subsídio britânico na ordem dos 15% do total.


"É preciso adaptar o apetite ao tamanho do farnel!", aponta o primeiro-ministro sueco, apresentando como objetivo da Suécia uma redução do orçamento comunitário na mesma grandeza do anterior pagamento dos britânicos aos cofres da União Europeia.
A Suécia espera ter o apoio dos 8 países que pagam mais do que recebem, entre os quais estão a Holanda, a Suécia, a Alemanha e a Áustria.
Uma das consequências desta linha é a diminuição dos subsídios europeus à agricultura e ao desenvolvimento regional. 

E a ministra das finanças realça que ela quer menos ajudas à agricultura e ao desenvolvimento regional, e mais dinheiro para os verdadeiros problemas da União Europeia, nas áreas das migrações, concurrência e polítiva climática.

O primeiro-ministro arredondou dizendo que "Não se pode continuar a receber ajudas, sem assumir responsabilidades.", e a ministra das finanças acrescentou que "Não se pode só tirar as frutas, e deixar o resto do bolo."


Sydsvenskan- 27 de março de 2017 - EU-avgiftssmäll hotar efter Brexit - http://www.sydsvenskan.se/2017-03-27/eu-avgiftssmall-hotar-efter-brexit
Dagens Nyheter - 27 de março de 2017 - Sverige vill ha slimmad EU-budget - http://www.dn.se/ekonomi/sverige-vill-ha-slimmad-eu-budget/
AffärsLiv - 27 de março de 2017 - Sverige vill ha slimmad EU-budget - http://affarsliv24.vk.se/1967455/sverige-vill-ha-slimmad-eu-budget-3

quinta-feira, 23 de março de 2017


DIJSSELBLOEM PODE CAIR

"Não se pode gastar o dinheiro em mulheres e álcool, e depois contar com a ajuda dos outros", disse o  presidente do Eurogrupo Jeroen Dijsselbloem, numa entrevista ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung. 

Declarações inaceitáveis, replicou Antonio Trajani, presidente do Parlamento Europeu. 
Apesar de Dijsselbloem ter um mandato até 2018, levantam-se algumas vozes exigindo a sua demissão, entre as quais, dos colegas do partido Socialista Holandês (PVDA), do primeiro-ministro italiano Matteo Renzi, do primeiro-ministro português António Costa, e do líder da bancada social-democrata do Parlamento Europeu Gianni Pittella. 


Svenska Dagbladet - 23 de março de 2017 - Sprit och kvinnor kan fälla euro-bas- https://www.svd.se/sprit-och-kvinnor-kan-falla-euro-bas
AffärsVärlden- 22 de março de 2017- Allt starkare avgångskrav mot Dijsselbloem- http://www.affarsvarlden.se/bors-ekonominyheter/allt-starkare-avgangskrav-mot-dijsselbloem-6834854

quarta-feira, 1 de março de 2017

A SUÉCIA ESTÁ NA LUTA PELA AGÊNCIA EUROPEIA DO MEDICAMENTO

O Brexit britânico acarreta a saída do Reino Unido da União Europeia. A Agência Europeia do Medicamento (EMA), sediada em Londres, terá de ser transferida para outro país da união.
A Suécia está na linha da frente dos candidatos a receber essa importante agência europeia. Outros países interessados são a Alemanha, a Dinamarca e a Holanda, para além da Irlanda, Itália, Áustria, Hungria, Malta, Espanha e Finlândia.
A Agência Europeia do Medicamento foi criada em 1995, e tem cerca de 900 funcionários, em contacto com uns 4 500 especialistas europeus. Anualmente recebe a visita de uns 40 000 peritos, e arranja 500 reuniões internacionais. Cerca de 400 pernoitas diárias em hotel, são necessárias para todo este movimento.
O governo da Suécia encarregou a Administração Regional de Estocolmo de apoiar a candidatura da Suécia, visando a colocção da Agência Europeia do Medicamento na área de Estocolmo e Uppsala.
O ponto fraco da Suécia é a grande dificuldade em conseguir habitação na região de Estocolmo.

Svenska Dagbladet - Flera länder i huggsexa om läkemedelsmyndighet - https://www.svd.se/huggsexa-om-lakemedelsmyndighet
SVT Nyheter – 28 de fevereiro de 2017 - Sverige kan förlora dragkamp om EU-myndigheter - http://www.svt.se/nyheter/inrikes/bostadsbrist-kan-orsaka-forlust
Regenringskansliet – 21 de janeiro de 2017 - Uppdrag avseende den Europeiska läkemedelsmyndigheten -http://www.regeringen.se/regeringsuppdrag/2017/02/uppdrag-avseende-den-europeiska-lakemedelsmyndigheten/



NILS BILDT – CONSELHEIRO DE DEFESA SUECO DESCONHECIDO NA SUÉCIA

Nils Bildt, apresentado numa entrevista da Fox News como "conselheiro da defesa e da segurança nacional sueca", descreveu a Suécia como um país atormentado pela criminalidade e pelas violações sexuais, devido à imigração.
Numa reação a esta entrevista o Ministério dos Negócios Estrangeiros e o Ministério da Defesa da Suécia declaram não saber quem é o Nils Bildt.
Os jornais suecos Dagens Nyheter e Aftonbladet investigaram esta misteriosa personagem, e apuraram que Nils Bildt, antes chamado Nils Tolling, fundou a empresa de segurança CTSS no Japão, antes de se mudar para os Estados Unidos e estar envolvido na criação da empresa Modus World. Nils Bildt está associado a uma tentativa de mediar um caso de rapto de um jornalista japonês na Síria, tendo sido rejeitado tanto pela família como pelo governo do Japão. Outro episódio a que está ligado é uma tentativa de ser nomeado deputado do Parlamento da Suécia pelo partido dos Democratas Suecos, tendo sido rejeitado devido a ser uma carta incerta.

Göteborgs-Posten – 27 de fevereiro de 2017 - Nya avslöjanden om den mystiske Nils Bildt - http://www.gp.se/nyheter/sverige/nya-avsl%C3%B6janden-om-den-mystiske-nils-bildt-1.4175744
Göteborgs-Posten – 28 de fevereiro de 2017 - Fox medger fel efter Nils Bildt-intervju - http://www.gp.se/nyheter/sverige/fox-medger-fel-efter-nils-bildt-intervju-1.4175949
Aftonbladet – 27 de fevereiro de 2017 - Nya avslöjanden om mystiske Nils Bildt - http://www.aftonbladet.se/nyheter/a/4aE3G/nya-avslojanden-om-mystiske-nils-bildt

Expressen – 26 de fevereiro de 2017 - Därför tog Fox News in Nils Bildt som expert - http://www.expressen.se/nyheter/darfor-tog-fox-news-in-nils-bildt-som-expert/

sábado, 25 de fevereiro de 2017

A SUÉCIA QUER ATRAIR A TESLA PARA TROLLHÄTTAN

A empresa americana Tesla de fabrico de carros elétricos quer construir uma fábrica de baterias e carros elétricos na Europa. 

O grupo de lobby sueco Business Sweden entrou na competição, com o objetivo de trazer a nova fábrica para a Suécia, mais especificamente para uma fábrica de automóveis já existente na cidade de Trollhättan.
Também a organização de fornecedores FKG participa nesta campanha, já tendo estado em contacto com a Tesla no verão passado.
O argumento dos suecos é que ja existe uma fábrica de produção de carros elétricos da empresa Nevs, com capacidade para construir mais um modelo. 
Se a Tesla escolhesse a Suécia, isso levaria à criação de várias centenas de postos de trabalho, além de beneficiar a indústria automóvel sueca em geral.
Além da Suécia, há outros países interessados em atrair a Tesla: a Finlândia, a Alemanha, a Holanda e Portugal. 


Göteborgs-Posten - 22 de fevereiro de 2017 - Försöker locka Tesla till Trollhättan - http://www.gp.se/nyheter/ekonomi/f%C3%B6rs%C3%B6ker-locka-tesla-till-trollh%C3%A4ttan-1.4167889

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

UNIÃO EUROPEIA 
A SUÉCIA TEM DESIQUILÍBRIOS MACROECONÓMICOS

A Suécia, a Alemanha, a Irlanda, a Espanha, a Holanda e a Eslovénia recebem um aviso da União Europeia devido a terem “desiquilíbrios económicos” que precisam de corrigir. Já a Bulgária, a França, a Croácia, a Itália, Portugal e Chipre, recebem avisos de “graves desiquilíbrios”. A Grécia está numa categoria especial.
A Suécia é alertada por ter uma grande dívida privada e crescentes preços da habitação. Além disso, a Comissão avisa de que há um risco de contágio aos bancos suecos, e de estes aos bancos nórdicos e bálticos.
No seu conjunto a economia da União Europeia apresenta descidas do desemprego, das dívidas e dos défices.

Göteborgs-Posten – 24 de fevereiro de 2017 - EU-varning för svensk obalans - http://www.gp.se/nyheter/ekonomi/eu-varning-f%C3%B6r-svensk-obalans-1.4168259
Svenska Dagbladet – 24 de fevereiro de 2017 - EU-varning för svensk obalans - https://www.svd.se/eu-varning-for-svensk-obalans

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017


OCDE – A SUÉCIA APROVADA, APESAR DE

ALGUMAS FALHAS 

No relatório divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sobre a evolução da economia sueca, o país recebe uma medalha de ouro.
Todavia, há um aviso sobre o mercado da habitação, uma preocupação com o aumento da desigualdade nos rendimentos, e uma crítica à crescente desigualdade de oportunidades na entrada no mercado de trabalho para pessoas com baixas qualificações ou recém-chegadas à Suécia.
Um louvor especial vai para o crescimento da economia, o alto nível de emprego e as sólidas finanças públicas.

INFO
A OCDE prevê uma descida do crescimento económico para 2,7% este ano, comparado com os 3,3% do ano passado, e prevê 2,2% para o próximo ano.
O desemprego previsto para este ano e para o próximo fica por 6,7%.
A inflação deverá ficar este ano pelos 1,5%, depois de ter sido 0,9% o ano passado.

Göteborgs-Posten – 8 de fevereiro de 2017 - Svensk bostadsmarknad sänker betyget – http://www.gp.se/nyheter/ekonomi/svensk-bostadsmarknad-s%C3%A4nker-betyget-1.4149853
Dagens Nyheter - 8 de fevereiro de 2017 - OECD: Sverige bör akta sig för ökade klyftor - http://mobil.dn.se/ekonomi/oecd-sverige-bor-akta-sig-for-okade-klyftor/cd-sverige-bor-akta-sig-for-okade-klyftor/
Svenska Dagbladet - 8 de fevereiro de 2017 - OECD-chefen hyllar Sverige – men oroas över bobubblan - https://www.svd.se/oecd-chefen-hyllar-sverige--men-oroas-over-bobubblan

domingo, 5 de fevereiro de 2017

SUÉCIA NA CIMEIRA DE MALTA

Depois da Cimeira de Malta reunindo os chefes de estado de 27 países-membros da União Europeia na ilha de Malta, Angela Merkel constatou que se está a caminho de uma Europa a diferentes velocidades, com graus variados de cooperação entre os diversos países, como é o caso da União Monetária do Euro. Igualmente foi ventilada a relação com os Estados Unidos, sendo abordado o caso do embaixador proposto pela Administração Trump, o senhor Ted Malloch, que afirmou esperar que a União Europeia seja enterrada tal como foi a União Soviética.

O primeiro-ministro Stefan Löfven manifestou a sua satisfação por se ter avançado na questão dos refugiados. Com os passos agora dados, vão ser salvas vidas no Mediterrâneo e a Líbia vai ser ajudada. A fronteira vai ser fortalecida e as condições de vida das pessoas em fuga vão ser melhoradas. Quanto aos Estados Unidos, Löfven apontou a importância de a Europa estar unida e ter um papel maior no trabalho global. A União Europeia e os Estados Unidos têm dois interesses comuns: a luta contra o terrorismo e os investimentos visandos desenvolver os dois continentes.


Göteborgs-Posten – 5 de fevereiro de 2017 - Svår vår för sökande EU-ledare - http://www.gp.se/nyheter/v%C3%A4rlden/sv%C3%A5r-v%C3%A5r-f%C3%B6r-s%C3%B6kande-eu-ledare-1.4145009
Expressen – 3 de fevereiro de 2017 - EU–ledarna överens om plan för flyktingar - http://www.expressen.se/nyheter/euledarna-overens-om-plan-for-flyktingar/